06 junho 2009

Franciscanos seculares... afinal de contas o que queremos? Frei Almir Ribeiro Guimarães,OFM (*)



3. Não constituem os franciscanos seculares um grupo devocional ou “piedoso”. Na realidade, não são “inofensivos” , mas querem ser testemunhas de um mundo novo que descobriram a partir do encontro com Cristo. Com isto incomodam e questionam um certo status quo. Nunca se esquecem que, como Francisco, desejam restaurar a Igreja que pode apresentar rachaduras e fissuras... Fazem-no através do retorno ao Evangelho. De alguma forma adotam em suas vidas, a metodologia do ver, julgar e agir.

Trezena 7


7º Dia :: 6/6 – Santo Antônio e Jesus Cristo

- Sinal da cruz

- Palavra de Deus: "Jesus Cristo é sempre e o mesmo: ontem, hoje e por toda a eternidade. Não vos deixeis desviar por doutrinas estranhas" (Hb 13, 8-9)

- Palavra do Santo: "Ele veio para ti para poderes ir a Ele".

- Oração: Senhor, Vós revelastes o vosso amor, vossa bondade, vosso perdão e vossa imagem em Cristo Jesus. Fazei com que possamos reconhecê-Lo e amá-Lo, segui-Lo e indicá-Lo sempre aos nossos irmãos, pelo exemplo de vida, por nossas boas obras e pela nossa palavra. Por intercessão de Santo António, fazei com que nossa fé seja sempre mais viva e nossa missão sempre mais corajosa e fiel. Amém!

- Pai-nosso... Ave-maria... Glória ao Pai...

Mensagem para o Dia de Oração pela Vida Consagrada Contemplativa

http://2.bp.blogspot.com/_wbzmm_2oX9c/SS3eZZNxmJI/AAAAAAAAA0M/YJUh-8P8BiY/s320/Voca%C3%A701.jpg

Domingo dia 7, em que celebramos a Solenidade da Santíssima Trindade, celebraremos igualmente, o Dia de Oração pela Vida Consagrada Contemplativa. A culminar o ano Jubilar de S. Paulo e quase a iniciar o Ano Sacerdotal a Igreja pretende centrar a nossa atenção naqueles homens e mulheres completamente dedicados à escuta incessante da voz de Deus e à meditação da sua Palavra. Contemplando continuamente o Mistério do Amor Divino, vivem discretamente em muitos dos mosteiros e conventos existentes no nosso país, de norte a sul.

Ao propor a celebração deste dia queremos dirigir a atenção e o carinho das comunidades cristãs para estes nossos amigos ocultos que habitam a profundidade do mistério da Igreja porque estão no seu centro e são com ela um só coração e um só alma. Embora longe da vista, estão perto do nosso coração, por isso queremos manifestar-lhes o nosso afecto e agradecemos o dom inestimável que são para a missão da Igreja e como sustentáculo do mundo.

Neste dia pede-se uma oração em favor destas sentinelas vigilantes em guarda permanente à espera da vinda do Senhor nos mosteiros ou eremitérios. Pede-se que, a partir de oportunas iniciativas pastorais, esta celebração sirva para dar a conhecer a vocação especificamente contemplativa.

Sejam lembradas as comunidades cristãs sobre a importância e a necessidade de promoverem a oração e o cultivo da dimensão contemplativa da fé.

Agradeço o testemunho e o desafio do Carmelo de Fátima e a colaboração das Irmãs Beneditinas de Roriz na elaboração do suporte de meditação para este dia e entrego nas mãos de Maria, a primeira consagrada da história, o desejo que nos faça descobrir que a maior vocação e missão do homem é a contemplação de Cristo e Nele do Pai, pelo Espírito.

D. António Francisco dos Santos
Bispo de Aveiro e Presidente da Comissão Episcopal Vocações e Ministérios